As Origens Do Slackline 1

Desde os primatas até hoje em dia

O Slackline, ou prática de movimentos sobre uma “fita folgada” surgiu faz poucas décadas. É a soma da evolução dos materiais físicos, como uma prática ancestral, a do equilíbrio sobre superfícies finas. Difícil dizer quando essa prática iniciou, uma vez que nossos ancestrais primatas viviam em árvore e caminhar em galhos e cipós não era uma atividade, mas a própria condição de sua existência.

Apesar de nossa evolução como Homo sapies, ereto e pensante, é recorrente durante a nossa história o eterno retorno ao mundo do equilíbrio. Desde a China antiga, passando por tribos africanas e os ciganos da Ásia central, treinar em cordas e semelhantes era uma tradição passada de geração em geração. A consolidação do circo consolidou o equilíbrio sobre cordas como uma “arte”. Travessias entre penhascos e montanhas desafiaram nossa capacidade de imaginação.

O Slackline, assim, apesar de ter um caráter de novidade, na verdade está incluído nessa linha evolutiva de habilidade que carregamos desde os primatas. De certa forma, nunca aprendemos a andar de Slackline, apenas relembramos nossos corpos a fazer os mesmos movimentos que nossos ancestrais. Se lembra quando éramos crianças, menos mentais e mais ligados aos corpos e interações? Ao vermos uma árvore, logo queríamos subir e brincar nela. Isso é nossa natureza. Isso é Slackline.

Assim, o sucesso do Slackline vem de propiciar ao homem esse retorno às suas origens naturais. Que nada mais é que a volta do contato direto o ambiente aberto e um espírito livre e ousado. O homem moderno se tornou por demais lógico e mental e perdeu ligação com seu equilíbrio interno e todos os benefícios que esse tipo de exercício traz. Entretanto, como sempre na história, de alguma forma, retornamos à nossa origem.

Nós da Gibbon somos eternamente gratos por saber que ajudamos pessoas a fazer o que os macacos faziam!

Slackline para todos!!!

PS: Caso você tenha interesse em conhecer a fita de Slackline para iniciantes da Gibbon, clique aqui para ver a CLASSICLINE.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X